publicidade

Ano de 1910: Surge o povoado de Marcelino Ramos

Completa-se a Estrada de Ferro São Paulo- Rio Grande. A Ponte Provisória e o Rio Uruguai. O povoado e o povo de Marcelino Ramos.

3003
visualizações
01-01-1910 00:00:00

Completa-se a Estrada de Ferro São Paulo- Rio Grande. A Ponte Provisória e o Rio Uruguai. O povoado e o povo de Marcelino Ramos.

No final do século XIX e começo do século XX, construía estradas de ferro na região norte do RS, a partir de Passo Fundo, a empresa de capital belga, Compagnie Auxiliare de Chemins de Fera u Brésil. Entretanto, chegou ao Brasil, nessa época, o poderoso railwayman, Percival Farquhar, que logo tomou conta da maior parte das ferrovias brasileiras, inclusive a Estrada de Ferro São Paulo- Rio Grande, cujo trecho catarinense, vindo do norte, chegaria ao Rio Uruguai, emMarcelino Ramos. O engenheiro mais importante de Farquhar era o americano Achilles Stenghel, ao passo que no Rio Grande, o diretor da Auxiliare, que gerenciava toda a malha ferroviária gaúcha, era o engenheiro belga Gustave Vauthier. Não se tem noticias, entretanto, que Vauthier ou Farquhar tivessem vindo, alguma vez, ao Alto Uruguai do Rio Grande do Sul.

Compagnie Auxiliare: a Compagnie Auxiliare foi criada emBruxelas, na Belgica, no dia 03 de Março de 1898, com capital de 4.500 francos belgas, divididos em 9000 açoes, das quais 200 eram de capital brasileiro, mais especificadamente, do engenheiro Joao Teixeira Soares. O maior acionista era o grupo financeiro belga Compagnie Générale de Chemins de Fer Secondaires, que detinha 2000 açoes.

Pouco mais de uma semana depois, no Brasil, a Auxiliare, pelo decreto 2.830, de 12/03/1898, recebe, em arredondamento, a Estrada de Ferro de Porto Alegre a Uruguaiana, através do engenheiro belga Afonso Spée, que repassou a linha à Auxiliare, após esta possuir licença para funcionar no Brasil, concedida no dia 25/04/1898, pelo decreto 2.884, ano em que os trilhos chegam a Passo Fundo.

Através do decreto 5.548, de 06/06/1905 a concessão a Auxiliare foi ampliada para quase toda a malha ferroviária gaúcha, entre os quais o Tronco Norte, de Santa Maria ao Rio Uruguai, a ser construído para encontrar o ramo sul da E.F.S.P.R.G, que vinha sendo construída pela Brazil Railway, de Farquhar. Esse Tronco Norte, incluía o trecho Passo Fundo ao Rio Uruguai quer dizer, Passo Fundo a Marcelino Ramos, do nosso povoado que, nesse ano, não existia.

Em 1907, pelo decreto 6.673, de 03 de Outubro, o trecho Passo Fundo ao Rio Uruguai é efetivamente incorporado as linhas contratadas para construção, com a Compagnie Auxiliare.

Três decretos de 1907,1908 e 1909 aprovam estudos definitivos, e orçamento, do trecho até Marcelino Ramos. O prazo de construção era dois anos a partir do decreto de 24 de outubro de 1908, ou seja: 24/10/1910. Os trilhos do trecho Passo Fundo ao Rio Uruguai deveriam chegar a Marcelino Ramos até o dia 24 de outubro de 1910.

O prof. Nilson Thomé, no seu livro TREM DE FERRO- A Ferrovia no Contestado, a pagina 57, relata que: No Rio Grande do Sul, neste ano (1910), a Compagnie Auxiliare cumpria no seu prazo. A 3 de maio, era aberto ao tráfego o prolongamento de Passo Fundo a Capo Erê, atingindo a estação de Barro ( hoje Gaurama) a 30 de agosto chegando a estação de Marcelino Ramos, na margem esquerda do Rio Uruguai, a 25 de outubro.

Quatro dias depois, a 29 de outubro, já se avistavam os operários da Brazil Railway Co, no outro lado do rio, abrindo os trilhos da linha Herval ao Rio Uruguai do trecho catarinense da Estrada de Ferro São Paulo- Rio Grande.

Agora, no mês de novembro, começo de dezembro de 1910, só falava a travessia do Rio Uruguai, a ponte sobre o Rio Uruguai, emMarcelino Ramos. Embora já estivessem prontos os projetos da ponte metálica definitiva, a Auxiliare optou por construir uma ponte provisória, de madeira, pois na época era permitido usar madeira nas obras de arte.

Essa ponte, provisória, estaria concluída poucas semanas depois, a 17 de dezembro de 1910, dando-se por completada a construção da Estrada de Ferro de São Paulo- Rio Grande, unindo São Paulo a Porto Alegre, numa viagem de trem de 2.152km, em 3 dias de viagem...com garantia de segurança.

Comentários

Voltar